uniaodeleiria.blogspot.com: Agenda | Merchandise | Caderneta | Contacto

 



BENFICA 1 U.LEIRIA 1 - Iniciados Torneio Santarém

O conhecido site "academia de talentos" publicou uma peça relativa ao encontro do passado Domingo entre a União Desportiva de Leiria e o S.L. Benfica a contar para a atribuição dos terceiros e quartos lugares do Torneio Jorge Chaves em Santarém.
A peça poderá ser visionada na integra aqui, mas aqui deixamos o corpo principal.

Recorde-se que a nossa equipa de Iniciados A inicia o respectivo campeonato nacional no próximo fim de semana com a recepção à Naval 1º de Maio, na Academia às 11 horas de Domingo.

Sport Lisboa e Benfica 1 - 1 União Desportiva de Leiria.(4-5 após g.p.)

Sport Lisboa e Benfica: 1 -Tomás Corrêa; 2 -André Ceitil; 3 -João Nunes; 4 -Ricardo Mendonça (17- Nuno Faustino, 55'); 5- Caio Ferreira; 6 -Rafael Almeida; 7- Henrique Marreiros; 10- Luís Pereira (8- Bruno Elias, 50'.); 14- Bernardo Subtil (16- Pedro Oliveira, int.) 15- João Simões e 9- André Silva.
Treinador: Renato Paiva.

União Desportiva de Leiria: 12- Igor Rodrigues (1- António Carvalheiro, int.); 2- António Fernandes; 3- João Hortêncio; 5- Rafael Ramalho (18- David Nascimento), ; 6- Joaquim Ferreira (10- Tiago Pacheco, int.); 7- Filipe Oliveira (16- Rafael Monteiro, int.); 8- Ezequiel Silva; 9- Tiago Alves; 11- Daniel Esteves (15- Yulian Gorytsya); 13- Luís Oliveira e 14- Tiago Jorge (17- Alexandre Cruz, int.).
Treinador: Frederico Biel.

Árbitro: Gilberto Costa. Assistentes: Fernando Costa, Rui Mendes e Joaquim Alminha.

Marcadores: 0-1, por Joaquim Ferreira (5'); 1-1, por João Nunes (40').
Melhores em Campo: Joaquim Ferreira (U. Leiria), Daniel Esteves (U.Leiria) e Caio Ferreira (Benfica).

O Torneio "Jorge Chaves", desenrolado em Santarém, foi mais um dos muitos torneios de Iniciados que tiveram lugar no fim-de-semana de 6 e 7 de Setembro. Este, em particular, contou com a presença das equipas de Iniciados B do Sporting e Benfica e Iniciados A do U. Leiria e da Académica de Santarém, organizadora do Torneio.A prova teve lugar no decurso de apenas um dia, no caso 7 de Setembro. De manhã jogaram-se as eliminatórias e de tarde as finais, para atribuição dos prémios. O jogo do 3º e 4º lugares teve por protagonistas o Benfica, que perdera nos penalties com o Ac. Santarém (0-0 no final dos 60'), e o União de Leiria, que sofrera o mesmo fado com o Sporting, após um resultado final de 2-2.

Ambas as equipas se apresentaram em 4-3-3, encaixando ambas as tácticas bem uma na outra. No entanto, o maior poderio físico dos jogadores do Leiria acabou por ser decisivo, sendo que a diferença de um ano entre os encarnados e os leirienses era bem visível e significativa. Os benfiquistas viram-se com muitas dificuldades para conseguir um resultado positivo neste jogo, e acabariam mesmo por claudicar nos penalties.

Os primeiros minutos foram de pressão intensiva por parte do Leiria. Os jovens do Centro de Portugal pegaram no jogo desde o primeiro minuto, e imediatamente começaram a criar perigo. Nos primeiros cinco minutos, foram duas as jogadas de muito perigo que rondaram a baliza do Benfica, beneficiando Tomás Corrêa de muita sorte na hora do remate adversário. Nesta fase, como em todo o jogo, destaque para os números 6 e 11 do Leiria, Joaquim Ferreira e Daniel Esteves, que criaram entre si a maioria das jogadas de perigo da UDL.

Aos cinco minutos de jogo, os mesmos dois jogadores conseguiriam o inevitável: o golo do Leiria. Daniel inventou a jogada, fez a assistência, e Joaquim, solto na área com espaço e tempo, empurrou para o 1-0. Um início infeliz para o Benfica, que ainda não se tinha encontrado dentro de campo.Para piorar ainda mais o cenário para os encarnados, o golo não fez com que a União de Leiria abrandasse a pressão. Antes pelo contrário: os jovens de branco carregaram, em busca da dilatação da vantagem, e criaram boas oportunidades aos 7, 9 e 18 minutos. A isto, o Benfica respondia apenas com um livre muito pobre (6'), uma boa jogada mal concluída por André Silva, após erro de um defesa (7') e um remate fraco, de longe (aos 13'). Os jogadores encarnados continuavam muito perdidos, e viam-se em "palpos de aranha" para travar os ímpetos dos adversários, que no primeiro tempo "encostaram" completamente o Benfica às cordas.

Só aos 21 minutos a equipa lisboeta voltaria a surgir, com um remate ao lado, da meia-direita. Cinco minutos depois, a melhor oportunidade do Benfica na primeira parte resultou numa bola tirada da linha por um defesa leiriense. "Cheirou-se" o empate no campo do U. Santarém. No entanto, os esforços dos encarnados, e sobretudo do lateral-esquerdo Caio Ferreira, não bastariam para alterar o resultado, que se manteria em 1-0 até ao intervalo.

No segundo tempo, o Leiria apostava em diversas substituições, fazendo rodar o seu plantel. Por outro lado, o Benfica apenas realizaria três mudanças ao longo de todo o jogo, com a entrada de Pedro Oliveira ao intervalo, de Bruno Elias aos 50 minutos e de Nuno Faustino aos 55'. Esta diferença de políticas acabou por fazer com que a segunda parte fosse ligeiramente mais equilibrada, o que favoreceu as aspirações dos franzinos jogadores benfiquistas.De facto, na etapa complementar, os encarnados conseguiram criar diversas oportunidades de golo, a começar por um canto que sobrevoa a área leiriense sem que ninguém surja a completar (31').

No entanto, a melhor destas oportunidades surgiria aos 36 minutos, na sequência de um erro perigoso de um jogador leiriense. Dessa vez, a defesa resolveria a tempo de evitar males maiores, mas quatro minutos volvidos, dar-se-ia mesmo o golo do empate das águias. A jogada origina-se num canto, batido tenso para o coração da área. Apesar dos esforços da defesa leiriense, o número 3 benfiquista, João Nunes, surge a cabecear para o fundo das redes adversárias, restabelecendo o empate para os encarnados. Um resultado injusto à luz do que se passara no jogo até então, mas que reflecte os maiores esforços dos encarnados na segunda parte, bem como o maior equilíbrio que se fizera sentir na etapa complementar.

Depois do golo encarnado, o Leiria galvanizou-se e voltou a surgir em força, procurando recuperar a vantagem. Os benfiquistas voltaram a ser "sufocados", e o golo do Leiria esteve mesmo muito perto. O momento em que mais se sentiu que os leirienses poderiam, de facto, vencer o jogo deu-se aos 42 minutos de jogo. Na sequência de um livre frontal, o possante Tiago Pacheco, entrado ao intervalo, envia uma bola em força direitinha ao poste direito da baliza de Tomás Corrêa. Gritou-se "golo" em Santarém, mas a sorte favoreceu os rapazes de Lisboa, que logo no minuto seguinte responderiam à altura, com uma bola a embater na trave leiriense.

Até final, o jogo assumiu um ritmo de parada e resposta, com muita luta a meio-campo. Nesta fase, e apesar de ter alinhado apenas por 10 minutos, deu nas vistas o "baixote" Bruno Elias, jogador mais baixo em campo, mas autor de alguns apontamentos de bom recorte técnico.No entanto, e face à indefinição do resultado, a forma de resolver o jogo seria mesmo através de pontapés de grande penalidade. E aqui, o Leiria voltaria a superiorizar-se, vencendo por 5-4 e conquistando o terceiro lugar da prova. Ficou a ideia de que o maior poderio físico dos rapazes do Centro foi decisivo durante os 60 minutos; no entanto, a segunda parte lutadora efectuada pelo Benfica talvez merecesse algo mais do que o último lugar...

Etiquetas:

posted by mozdn @ 5:27 da tarde,

4 Comments:

At 6:47 da tarde, Anonymous PETZL said...

Ano após ano com excelentes equipas de iniciados...

 
At 9:07 da tarde, Anonymous player said...

excelente post mozdn :)

 
At 9:07 da tarde, Anonymous Anónimo said...

Esse mister é um filho da puta , morre fred

 
At 11:08 da tarde, Anonymous indignado said...

coitado deste anonimo -.-

 

Enviar um comentário

<< Home