uniaodeleiria.blogspot.com: Agenda | Merchandise | Caderneta | Contacto

 



MANUEL FERNANDES em entrevista ao Diário de Leiria

“Equipa tem de correr mais” O treinador da União de Leiria admite fazer alguns ajustamentos no plantel na reabertura do mercado de transferências, para reforçar os sectores defensivos e do meio-campo. Manuel Fernandes considera que a equipa "está a ser perseguida" pelos árbitros
Diário de Leiria (DL) - A União de Leiria encontra-se numa posição complicada na tabela classificativa para conseguir atingir os objectivos definidos pela SAD, que passa pela subida de divisão. Ainda acredita neste cenário?
Manuel Fernandes (MF) - Acredito. É uma equipa que joga bem, mas tem de correr mais, porque na II Liga é necessário haver mais luta corpo a corpo. Basta conseguirmos três vitórias e ficamos praticamente no topo da tabela. Por outro lado, sou um treinador que gosta de ter dois jogadores para cada posição, para que possa existir uma luta saudável entre jogadores equivalentes. Aqui não tenho essa possibilidade. Tenho de fazer muitas adaptações, porque o União só tem dois laterais, um esquerdo e um direito. Quando este se lesionou tive que puxar um jogador de meio-campo para a lateral. Para uma equipa que tem as aspirações do União de Leiria este cenário não é bom. Se calhar estamos com jogadores a mais em determinados sectores, nomeadamente no meio-campo, que poderiam jogar nas laterais. São reajustamentos que quero fazer na abertura do mercado de transferências, para tentar encontrar o tal equilíbrio dentro do grupo.
DL - O facto de ter muitos jogadores de meio-campo com as mesmas características tem dificultado a implementação do seu sistema de jogo ?
MF - Temos dois extremos, que são o João Pedro e o Ouattara. Analisando as características dos jogadores que tenho ao meu dispor, se jogar em 4x3x3 - tendo um jogador indisponível - fico com a equipa partida, porque não tenho um extremo esquerdo de raiz. Por isso, tenho implementado o 4x4x2, por ter mais soluções. Jogando neste sistema, os atletas vão demorar mais tempo a assimilar aquilo que pretendo, por não estarem habituados a treiná-lo. De qualquer forma, prefiro enquadrar as características dos atletas ao sistema que pretendo utilizar. Este 4x4x2, daqui a mais duas ou três semanas e com a paragem do campeonato, vai dar os seus frutos. Estou convencido que os jogadores enquadram-se perfeitamente neste sistema.
DL - Referiu que na abertura do mercado pretende fazer alguns ajustamentos. Esses ajustamentos poderão passar pela contratação de mais avançados, tendo em conta o défice de golos com que se debate a equipa?
MF - Tenho três avançados e eles têm que saber que vivem de golos. Aposto muito no aspecto da finalização. Sinto que há um défice de confiança principalmente no último toque da bola para a finalização, mas tanto o Vanderlei como o Maciel ou o Cássio são jogadores experientes e complementam-se. A dinâmica que temos de impor nas transições ofensivas tem de ser idêntica à que temos que impor nas transições defensivas. Neste sector é que a equipa ainda não está como eu quero, porque na saída para o ataque já estamos a começar a ficar mais fortes.
DL - Mas os três avançados dão-lhe a confiança necessária?
MF - Muitas vezes as pessoas falam dos pontas-de-lança, mas esquecem-se que o proveito deles tem muito a ver com o jogo que é alimentado pelos outros sectores. Quero ter laterais e médios que subam bem no terreno e façam bons cruzamentos. Se conseguirmos isso, os avançados vão com certeza melhorar o rendimento. Porque em 10 jogos, os avançados terem apenas três golos marcados é muito pouco.
DL- Esses ajustamentos podem passar pela contratação de mais laterais e centro-campistas?
MF - Tenho um jogador tunisino, que ainda não conheço bem, que pode ser importante na estratégia do meio-campo. Pode ser este tipo de atleta que a equipa necessita para jogar atrás dos pontas-de-lança. O tal alimentador de jogo. Se não for, temos de encontrar outro. Hoje em dia, um jogador que jogue naquela posição, para além de ter que ser exímio no último passe e inteligente na movimentação, tem de saber no local certo quando a equipa perde a bola, sem ser muito forte defensivamente mas que saiba colocar-se bem dentro do sistema que utilizamos. Devido à mudança de treinador, alguns jogadores estão a levar mais tempo a assimilar. Estou convencido, atendendo à qualidade do plantel, que brevemente estarão a interpretar o sistema de jogo de forma mais vincada.
DL - Como tem trabalhado a vertente da finalização?
MF - Trabalho em função do sistema de jogo que utilizo. Os avançados sabem que só podem jogar se tiverem rendimento, e, portanto, sabem que este factor é no momento e não nas próximas semanas. Compreendo que ainda estejam a assimilar os meus métodos de trabalho e de jogo. Estou convencido que as coisas irão melhorar com os tais ajustamentos que pretendo fazer na abertura do mercado de transferências. Com certeza que ficaremos com um grupo mais forte para atacarmos com força a segunda volta do campeonato.
DL - Há jogadores lesionados há mais de um mês. Este problema complica o trabalho diário?
MF - Há cinco jogadores que ainda não vi treinar. No cômputo geral estou satisfeito com o plantel e quando os índices de confiança aumentarem, penso que vamos ficar com um bom plantel. Nas equipas que orientei, designadamente o Campomaiorense, o Santa Clara e o Penafiel não tinham a qualidade do União de Leiria e consegui subi-las de divisão. Temos de ser mais fortes nas lutas individuais, na luta corpo a corpo e inteligentes a meter o pé à bola.
DL - O que é que conseguiu mudar na equipa?
MF - O que tento transmitir aos jogadores é que o União de Leiria é um clube apetecido. Adorei vir para a União, por ser um clube com muita tradição e um passado extraordinário, onde qualquer jogador também gostará de jogar. Mas, para isso, tem que se justificar o porquê, porque apesar de estar a disputar a II Liga é um clube de primeira divisão. É um clube que tem bom passado e boas perspectivas para o futuro. Quero que eles tenham a ambição de ir mais além da União de Leiria. Mesmo aqueles que já não podem ir mais além, têm que justificar o contrato que assinaram com o clube, porque as oportunidades começam a escassear. Só lhes peço que entendam que estão neste clube porque realmente têm valor, mas têm de o justificar em campo.
DL - Os árbitros têm sido uma quarta equipa a lutar contra a União de Leiria ou a má classificação na tabela não tem a ver com as arbitragens?
MF - A arbitragem em Portugal está muito melhor, mas há coisas em que sinto que a União de Leiria está a ser perseguida. O jogo, frente ao Bovista foi sintomático. Perdemos o jogo em Vizela e o árbitro esteve excelente e não foi por causa dele que perdemos. Agora, a forma como perdemos no Bessa, podíamos não ganhar, mas também não perdíamos, porque o Boavista não estava criar qualquer perigo. E, no primeiro lance duvidoso dentro da área, o árbitro marca um penálti. E, depois do que se passou no final quando o fui cumprimentar...
DL - Pode explicar melhor a conversa com Pedro Proença no final do encontro?
MF - Eu sou uma pessoa séria, digna, as pessoas conhecem-me e não gosto de polémicas. O que lhe disse foi o seguinte: a mim disseram-me, quando vim para a União, que o meu presidente estava a ser perseguido pelas arbitragens e não quis acreditar. Mas, neste momento, estou a acreditar que isso é verdade. E ele perguntou-me, então porquê? Eu respondi que em três jogos que estou a orientar a equipa marcaram três penaltis e só um é que foi. E ele respondeu de imediato: mas o seu presidente é corrupto e eu não sou. Digo-lhe a si e na cara dele. Fiquei sem palavras. Transmiti esta conversa ao presidente, porque considero que isto são acusações graves e a União de Leiria está a ser prejudicada. Não sei se houve divergências entre o árbitro e senhor João Bartolomeu, mas a mim o que me interessa é o clube. Um árbitro não pode dizer uma coisa destas.
DL - Tem sentido total apoio da administração apesar dos resultados positivos demorarem a aparecer?
MF - Tenho. Nesta divisão, se ganharmos os jogos em casa e se conseguirmos quatro ou cinco vitórias fora dá perfeitamente para subir de divisão. O importante é não desperdiçar pontos em casa. Acredito no trabalho que faço e, acima de tudo, nas pessoas que trabalham comigo. Estas duas paragens do campeonato vão ser fundamentais para elevar os níveis de confiança e físicos dos jogadores.
DL - Afirmou que a sua vinda para Leiria podia atrair mais pessoas ao estádio. Tem sentido a presença de mais espectadores nos jogos?
MF - Como homem do futebol gostaria de ver o Estádio com muito mais gente. Quando disputava o Campeonato da I Divisão, o União nunca teve muita gente, excepto contra os grandes. Dá-me a ideia que as pessoas não sentem muito o clube. Estive no Vitória de Setúbal e as pessoas em primeiro lugar são do Vitória e depois do Benfica, Porto ou Sporting. Aqui dá-me a ideia que a situação é inversa. Temos de ser nós a puxar o público, fazendo boas exibições e obtendo resultados positivos.
DL - A falta de apoio da massa associativa tem influência nos resultados?
MF - É sempre muito difícil encher uma casa destas na II Liga. Quando a equipa estiver mais bem classificada, acredito que o número de espectadores pode aumentar significativamente.
In Diario de Leiria

Etiquetas:

posted by mozdn @ 12:20 da tarde,

27 Comments:

At 1:46 da tarde, Anonymous Anónimo said...

Boa escola a de manuel fernandes

 
At 1:58 da tarde, Anonymous Anónimo said...

Evitem mas é a descida, porque subir só se for pr'o ano.

 
At 2:19 da tarde, Anonymous Anónimo said...

conversa conversa e conversa mai nada. no campo zero. igual ou pior ao paulo alves. agora vi no jornal que querem reduzir os ordenados. ja estamos a cometer eerros do passado. toalha no chao. bandalheira.

 
At 4:07 da tarde, Anonymous jb said...

Gostei da entrevista.

Força Manel

 
At 4:10 da tarde, Anonymous s-type said...

gosto da atitude!

vamos a ver no que dá...

 
At 4:21 da tarde, Anonymous Anónimo said...

Este Manel é um romântico...

 
At 8:15 da tarde, Anonymous Golpe final da SAD said...

A SAD do Leiria comunicou aos jogadores que pretende reduzir os salários em 50 por cento. A época decepcionante, com a equipa no fundo da tabela da Liga Vitalis, precipitou a decisão, mas a crise estende-se ao clube, que desde o ano passado está a ser gerido por uma Comissão Administrativa (CA). Para hoje, às 20h30, está marcada uma assembleia geral para eleger uma nova Direcção, mas, até ontem, não tinha aparecido nenhuma lista. Perspectiva-se, por isso, que o presidente da AG, Feliciano Barreiras Duarte, seja obrigado a nomear outra CA.

 
At 9:40 da tarde, Anonymous Anónimo said...

alguns nem o prato da sopa mereçem.

 
At 10:34 da tarde, Anonymous Anónimo said...

Como foi a AG?

Já agora, boa entrevista do Manuel Fernandes, há que acreditar!

 
At 11:02 da manhã, Anonymous Anónimo said...

João Bartolomeu entregou pedido de demissão

E.C.

"João Bartolomeu, presidente do Conselho de Administração da SAD do União de Leiria, já enviou a carta de demissão ao presidente da Assembleia Geral, João Carlos Barreiras Duarte, que deverá marcar uma reunião magna extraordinária "o mais brevemente possível". "A situação é irreversível, pelo que urge encontrar uma solução rapidamente, porque o clube tem de ter um Conselho de Administração", acrescentou. Entretanto, realizou-se ontem uma assembleia geral para marcar novas eleições, mas, como não apareceram listas a sufrágio, foi votada uma nova Comissão Administrativa, constituída pelos elementos da anterior, presidida por Luís Carlos Caetano."

In OJOGO

 
At 11:05 da manhã, Blogger mozdn said...

Muito boa a entrevista do nosso mister

 
At 12:29 da tarde, Blogger Ragazzi^ said...

Gostei da Entrevista!

Bartolomeu vai embora! e quando o fizer os Leirienses podem voltar ao estádio!

 
At 3:39 da tarde, Anonymous s-type said...

pelos vistos já o fez, não convém é esquecer que ele é o sócio maioritário da sad!

 
At 5:46 da tarde, Anonymous Anónimo said...

se estás com pena,pucha á frente.

 
At 5:48 da tarde, Anonymous Anónimo said...

mas é esquecer,ou não esquecer?

 
At 12:22 da manhã, Anonymous ThePressMan said...

http://www.abola.pt/nnh/ver.aspx?id=154345

 
At 1:51 da manhã, Anonymous Anónimo said...

tinha que te subido os brasucas myro thiago e rodrigo .. se eles estviesse nos senior isso nao estaria assim !

 
At 2:20 da tarde, Anonymous Anónimo said...

LOLOLOLOLOL
é k eram mesmo vc's os primeiros a sair do saco...

 
At 2:36 da tarde, Anonymous Prates said...

Igual a qualquer entrevista, que qualquer treinador de qualquer Clube (Equipa) do mundo daria! O meu Clube aqui no Brasil, o Atlético Mineiro, jogou a penúltima partida do Campeonato Nacional daqui e a última em casa diante de um público de mais de 57 mil pagantes. (detalhe: o Clube estava na 12ª colocação e não almejava nada, mas também não corria o risco de cair de Divisão!)
Pois bem, todo treinador que aqui chega enaltece a torcida e diz que com tal apoio o mínimo que pode prometer são títulos e mais títulos
(nem sequer menciona reforços!). Moral da história: Desde 1971, ano em que conquistamos o nosso primeiro e único título nacional, não ganhamos mais nada! Abraços a todos!

 
At 8:02 da tarde, Anonymous Riba said...

A entrevista é boa.
Dá para notar que não está satisfeito com o rendimento dos atletas, sabe que há jogadores a mais no meio-campo e que a defesa tem de ser reforçada. Joga em função dos jogadores que tem e não da tática que gostava.
Tenho cá para mim que é um treinador que gosta de puxar pelo fisico das meninas e que em janeiro não deverá ter problemas em mandar embora que não se esforce. Realmente temos cá muito gajo só a fazer numero. Rua com eles. Dá-lhes forte Manel!

 
At 11:51 da manhã, Anonymous Anónimo said...

o clube, a sad, precisam de pessoas honestas que sejam da terra: jogadores e dirigentes. pessoas em que todos nós nos revejamos e confiemos neles, invistam nessas pessoas e os resultados vão aparecer um dia mais tarde, não sejam cegos,não sejam surdos, não sejam mudos, vejam e ouçam o que as pessoas vos etão a transmitir quando não vão aos jogos, vão ter com elas e perguntem-lhes! façam um inquérito, não sejam dificiêntes e burros. foram os pais das vitórias mas agora são os pais das derrotas,os culpados não são só os ábitros, isso!... é muito fácil culpar os árbitros... e agora digam-me: porque é que os árbitros roubam a udl? e não é só os séniores comem todos por tabela(camadas jovens incluidas)

 
At 12:26 da tarde, Anonymous Johnny said...

Que deficiente!

 
At 6:10 da tarde, Anonymous Anónimo said...

acôrdo total c/anónimo das 11:51
deficiente és tu por não pensares da mesma maneira.
fala,diz, protesta e não digas que
está tudo bem,porque não está.
chama nomes a quem os deverias chamar,e não tenhas medo,bem por aqui me fico.

 
At 11:50 da tarde, Anonymous Anónimo said...

Malta, mantenham o discurso com nível!

 
At 4:07 da manhã, Anonymous Johnny said...

É sempre positivo concordares contigo mesmo. Só reforça a deficiência...

 
At 12:04 da manhã, Anonymous Anónimo said...

johnny quem és tu?
chamas nomes a todo o mundo, mudere
a sua maneira de ser,e tenha tento
na lingua por favor.

 
At 9:54 da manhã, Anonymous Johnny said...

Ser deficiente não é um insulto.
É um defeito que ele tem.
E não tem culpa de o ser é certo.

 

Enviar um comentário

<< Home